Como Investir em LCI e LCA: GUIA ABSOLUTO

Tempo de leitura: 9 minutos

Descubra como Investir em LCI e LCA, acompanhe nosso guia absoluto!

Todo mundo sabe que existem uma grande variedade de investimentos que acaba suprindo as necessidades de diferentes tipos de investidores: tesouro direto, ações na bolsa de valores e letras de créditos são apenas alguns exemplos que se desdobram em diferentes categorias, custo e rendimento.

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) serão o tema desse nosso artigo. Essas possibilidades de investimento são dois tipos de renda fixa que, para alegria geral, são isentos de Imposto de Renda e possuem uma boa taxa de retorno.

Neste artigo, vamos apresentar em detalhes como funciona cada modalidade, como você pode investir em LCI e LCA e quais são os riscos e as vantagens desse tipo de investimento. Chegou a hora de você tirar o seu dinheiro da poupança e torna-lo ainda mais valorizado! Vamos lá?

O que é LCI?

A LCI é um título de renda fixa. Ela é emitida por um banco e é lastreada por empréstimos imobiliários. Isso significa que parte do rendimento dela vem dos financiamentos feitos única e exclusivamente com o intuito de se construir ou reformar uma residência.

A LCI pode ter rentabilidade pré ou pós-fixada. Com isso, o investidor irá saber exatamente quanto vai receber no montante final. A LCI também pode ter um retorno que se modificará de acordo com as taxas de juros praticadas no mercado.

O que é LCA?

Assim como a LCI, a LCA é uma letra de crédito, mas garantida por empréstimos concedidos ao setor do agronegócio.

Como curiosidade, é legal de saber que a LCA foi criada pelo governo para ampliar os recursos disponíveis ao financiamento do setor. Como o agronegócio é extremamente importante para a economia nacional, é natural que se procure criar novas formas de levar investimento ao produtor. 

Como investir em LCI e LCA veja os tipos disponíveis

Existem dois tipos de LCI e LCA. O primeiro deles é a pós-fixada, onde o investidor receberá no resgate do título um percentual do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) negociado com a instituição que emitiu o título.

O CDI é uma forma de correção que oscila de maneira bem próxima à Selic. Assim, quanto maior o prazo da aplicação, maior será o percentual do CDI pago ao investidor.

O outro tipo é a pré-fixada, onde o investidor sabe qual é o valor que ele irá receber ao final do prazo de investimento. 

Quais são as vantagens de se investir em LCI e/ou LCA?

Entre as principais vantagens de se investir em LCI e/ou LCA, podemos destacar a isenção de Imposto de Renda. Isso garante uma maior rentabilidade líquida, principalmente para quem investe a longo prazo.

Outra vantagem é que os investimentos dessas letras de crédito no valor de até R$ 250 mil são garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

O FGC funciona garante ao investidor o retorno de alguns tipos de aplicação de até R$ 250 mil caso a instituição bancária onde se realizou o investimento tenha problemas ou quebre.

Você pode ler um pouco mais sobre o FGC neste outro artigo que publicamos.

Como investir em LCI e LCA?

Como investir em LCI e LCA
Como investir em LCI e LCA

Para investir em LCI ou LCA, você deve escolher um banco ou corretora da sua preferência. É importante checar se a instituição realiza a transação e também qual é a taxa cobrada por eles para realizar a compra e depois o resgate.

É legal saber que as corretoras, normalmente, trabalham com uma opção maior de letras de crédito. Um banco negocia as letras que ele emite; uma corretora pode trabalhar com várias, e oferecer ao investidor papéis mais rentáveis.

Outro ponto importante na hora de se investir em LCI ou LCA é decidir o tipo de título que se vai comprar, isto é, se ele é pré-fixado ou pós-fixado. Uma dica: normalmente, os títulos pós-fixados são mais interessantes, já que o pré-fixado trabalha com uma taxa de juros que pode oferecer uma rentabilidade mais baixa lá no final.

Ah, e se você quiser garantir segurança para o seu investimento em LCI ou LCA, lembre-se de que o investimento deve ser de até R$ 250 mil reais: esse é o teto máximo para que o FGC proteja o seu dinheiro. 

Quais são os custos de se investir em LCI e LCA?

Como investir em lci lca imposto renda
Como investir em lci lca imposto renda

Dependendo do lugar onde você vai realizar o investimento em LCI ou LCA, você pode acabar pagando taxas de custódia. Geralmente as corretoras não cobram essa tarifa. Mas, antes de qualquer coisa, verifique isso!

Também é importante relembrar que, se você realizar o resgate do título antes do prazo estipulado, irá pagar algum tipo de taxa de resgate antecipado.

Vale a pena ressaltar que as letras de crédito são isentas de imposto de renda para pessoas físicas.

Quais são os riscos de se investir em LCI e/ou LCA?

Como investir em lci e lca rendimento
Como investir em lci e lca rendimento

O risco do investimento em LCI ou LCA tem relação com a solidez da estrutura financeira do local onde foi feito o investimento. Por isso, é importante garantir que o título adquirido tenha o selo do FGC.

Outro ponto negativo é o prazo de resgate. Se, por alguma emergência, você precisa resgatar o título antes do prazo estipulado, com certeza você sairá perdendo.

Mas isso é um “se”: lembre-se que um bom investidor nunca mexe nos seus investimentos e sempre possui uma reserva de emergência.

Qual é o investimento inicial mínimo para LCI e/ou LCA?

Normalmente, o ticket mínimo de uma LCI ou LCA é de R$ 5 mil. Porém, a aplicação mais comum dessas letras de crédito é de R$ 30 mil.

Qual é o prazo de carência no investimento de LCI e/ou LCA?

O prazo médio de carência no investimento de LCI e LCA é de 90 dias. Porém, algumas instituições trabalham com prazos maiores, como 180 dias ou 1 ano. Lembre-se sempre de checar essas informações antes de fechar qualquer tipo de contrato.

Depois desse prazo, esses papéis podem ter restrições ao resgate antecipado. Por exemplo, permitir apenas o resgate antecipado do principal, sem qualquer rentabilidade; ou ainda pagar uma rentabilidade menor do que o prometido para quem resgata antes do vencimento.Diferentemente dos CDBs, as LCIs e LCAs em geral não podem ser resgatadas a qualquer momento.

Em alguns casos, a LCI ou LCA pode não permitir o resgate antecipado sob qualquer condição, devendo ser obrigatoriamente levada ao vencimento.

Entre os CDBs, no entanto, é bem comum haver papéis com liquidez diária, que podem ser resgatados a qualquer momento com a rentabilidade prometida, em geral um percentual do CDI.

A liquidez mais baixa é o principal motivo de as LCIs e LCAs não servirem como substitutas da caderneta de poupança em qualquer circunstância.

Se você tem investimentos de médio e longo prazo na caderneta e deseja trocá-los por esses papéis, a ideia pode ser boa. Basta buscar uma LCI ou LCA com um prazo que case com a data em que você quer usar o dinheiro.

Mas se o dinheiro da poupança será usado no curto prazo ou representa sua reserva de emergência – aquela reserva que você usa para apagar incêndios eventuais no seu dia a dia –, é melhor não migrá-lo para LCIs e LCAs. Nelas, você pode não conseguir acessar os recursos quando necessário.

Para reservas de emergência e de curto prazo em geral, é melhor trocar a poupança por aplicações de renda fixa conservadora com liquidez diária.

LCI, LCA, CDB ou poupança qual o melhor?

Para calcular os ganhos devem ser levados em consideração fatores como o desconto de imposto de renda na fonte – que não ocorre na poupança, LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA LCI (Letra de Crédito do Agronegócio), mas é obrigatório no caso do CDB (Certificado de Depósito Bancário).

A taxa básica de juros também influencia na rentabilidade e, apenas neste ano, a Selic teve queda de 4,5 pontos percentuais, atingindo 9,25% ao ano em julho, no patamar desde 2013.

CDB, LCI, LCA e poupança são aplicações nas quais o investidor empresta uma quantia para o banco durante determinado período em troca de um retorno financeiro, porém com critérios de rentabilidade diferentes.

Para ajudar na análise das opções, a B3 (fusão da BM&FBovespa com a Cetip) desenvolveu uma simulação com parâmetros fictícios que compara o desempenho das modalidades, assumindo um investimento de R$ 10 mil realizado em 1º de agosto de 2017.

como investir em lci lca comparativo
como investir em lci lca comparativo

O CDB com prazo de um ano renderia mais do que a poupança quando remunerado a 100% do DI e menos do que a poupança quando se considerou a remuneração a 90%. Já um ativo isento de imposto de renda, como LCA ou LCI, renderia menos que a poupança quando remunerado a partir de 80% do DI e mais quando remunerado a 90%.

Para os mesmos investimentos com prazo mais longo, de dois anos, tanto o CDB remunerado a 90% do DI, como os ativos isentos remunerados a 80%, também compensam mais do que a aplicação na poupança.

Cabe lembrar que o mercado prevê Selic abaixo de 8,50% de outubro de 2017 a maio de 2018, alterando a regra de remuneração da poupança no cálculo utilizado para o estudo. Assim, foi considerada TR de 0,05% ao mês.

O investidor deve estar atento a outra diferença relevante entre estes tipos de investimento. Nos CDBs, LCIs e LCAs há mais de uma possibilidade de taxas de remuneração, o que não acontece no caso da poupança, que, por lei, paga o mesmo rendimento em todos os bancos.

Gostou do nosso Guia sobre como investir em LCI e LCA ?  Você já investiu nesse tipo de produto. Então deixe um comentário

Como Investir em LCI e LCA: GUIA ABSOLUTO
4.7 (94%) 10 votes